•   Curitiba
    (41) 4063-9848   /
      Cascavel
    (45) 4063-9445   /
      Londrina
    (43) 4052-9487
  • comercial@aprtecnologia.com.br

Aprenda como fazer a emissão do CT-e de redespacho

Em um país tão grande quanto o nosso, é bastante comum que as operações de transporte aconteçam em várias etapas, usando os serviços de mais de uma empresa para levar as mercadorias do remetente até o destinatário. Tecnicamente falando, chamamos o procedimento de usar uma ou mais transportadoras para realizar uma entrega de redespacho, sendo seu documento fiscal oficial denominado de CT-e de redespacho. E é sobre este documento que vamos falar neste artigo.

Porém, antes de entrarmos nas particularidades de como emitir o conhecimento de transporte eletrônico de redespacho, vamos explicar as diferenças entre redespacho, redespacho intermediário e subcontratação, pois é muito comum haver confusão entre eles, o que pode causar problemas legais para as empresas. Vamos lá!

As diferenças entre redespacho, redespacho intermediário e subcontratação

Bom, para explicar cada um desses tipos de frete, vamos usar o seguinte exemplo: um contribuinte contrata uma empresa para levar sua mercadoria de Santa Maria, no Rio Grande do Sul, até Maragogi, em Alagoas. Por se tratar de um trecho de quase 3,9 mil quilômetros, não é incomum que a operação envolva mais de uma transportadora.

E é na forma de contratar e no número de transportadoras envolvidas no processo que encontramos as diferenças entre redespacho, redespacho intermediário e subcontratação. Vamos continuar com o exemplo para você entender melhor.

O contratante pesquisou e viu que poderia fazer sua entrega contratando duas transportadoras: A e B. A empresa A levaria a mercadoria de Santa Maria até São Paulo e a B finalizaria a entrega, indo de São Paulo até Maragogi. O processo que envolve duas operadoras é chamado de redespacho. O importante aqui é saber que as transportadoras são contratadas separadamente e possuem responsabilidades isoladas, cada uma pelo seu próprio trecho.

O redespacho intermediário é praticamente igual, a única diferença é que ele envolve, no mínimo, três transportadoras. Então, de acordo com o nosso exemplo, o contratante usaria o serviço de mais uma empresa, a C. Com isso, a entrega do nosso exemplo seria feita assim: a transportadora A leva a mercadoria até São Paulo. Dali, a transportadora B leva a mercadoria até a Bahia. E o último trecho até Maragogi fica sob a responsabilidade da transportadora C. Nessa situação, a transportadora A faz o serviço normal, a B de redespacho intermediário e a C de redespacho.

Para finalizar, a subcontratação ocorre quando a transportadora inicialmente contratada para realizar o transporte repassa a operação à outra, de maneira terceirizada. É como se a empresa A do nosso exemplo pegasse o serviço, mas por alguma razão, repassasse para a transportadora B realizá-lo no todo ou em partes. A diferença aqui está no fato de que a responsabilidade pela entrega é da empresa A, pois foi com ela que o contratante fechou negócio.

Agora que já estamos com todos os conceitos entendidos e não há mais confusão entre os tipos de serviço, vamos à emissão do documento!

Como emitir um CT-e de redespacho

O CT-e é indispensável para todas as operações de transporte e com o redespacho não é diferente. A emissão do CT-e de redespacho ocorre da mesma forma que um CT-e normal, o que difere entre os dois processos são as informações que precisam constar em cada um dos documentos.

Para relembrar o processo de emissão do CT-e, você pode acessar o artigo Aprenda como emitir o CT-e e quais informações são essenciais.

Assim sendo, na emissão do CT-e redespacho devem constar as seguintes informações:

  • Nome da transportadora contratante (redespachante);
  • Nome da transportadora contratada (redespachada);
  • Nome do remetente da carga;
  • Nome do destinatário;
  • Origem e destino.

Com o percurso dividido para a entrega da mercadoria, há o CT-e do redespachante e o CT-e da redespachada e, em cada um deles, informações e detalhamentos distintos devem estar corretamente preenchidos. No CT-e do redespachante deve conter:

  • Emissor do documento;
  • Origem e destino final do transporte;
  • Remetente e destinatário;
  • Recebedor (a empresa redespachada);
  • Data da emissão;
  • Tipo do CT-e (neste caso, o de redespachante);
  • Número de série do CT-e;
  • Chave de acesso gerada para o CT-e;
  • CFOP (Código Fiscal da Operação);
  • Valor do serviço e dos impostos.

Lembrando que o DACTE (Documento Auxiliar do Conhecimento de Transporte Eletrônico) deve acompanhar a carga durante todo o percurso, até a entrega ao cliente, mesmo que parte do trecho seja realizado por outra transportadora.

Já o CT-e do redespachado deve conter:

  • Emissor do CT-e;
  • Origem e destino do transporte;
  • Remetente (o cliente inicial, que contratou o serviço) e destinatário;
  • Expedidor (redespachante);
  • Data de emissão;
  • Tipo do CT-e ( neste caso, o de redespacho);
  • Documento anterior (dados do documento emitido pelo redespachante);
  • Chave de acesso para este CT-e;
  • Chave de acesso do CT-e do redespachante;
  • CFOP (Código Fiscal da Operação);
  • Valor do serviço e dos impostos.

 

Facilite os processos com o uso da tecnologia

Trabalhar no segmento de transportes não é algo tão simples assim. A legislação é dura e, como vimos, há diversos detalhes que não podem ser deixados para trás. Porém, não é preciso se desesperar e achar que toda essa burocracia vai impedir o seu negócio de ir para frente, pois há várias soluções no mercado que podem facilitar e otimizar o trabalho.

Aqui na APR Tecnologia, desenvolvemos ferramentas para auxiliar no dia a dia e tornar a rotina das transportadoras mais simples e prática. Com o EmiteFácil, você tem um portal totalmente web para a emissão e o gerenciamento de documentos eletrônicos. Já com o GerenciaFácil, é possível administrar as operações da sua transportadora, desde o controle da frota até a gestão contábil.

Quer saber mais sobre as nossas soluções e como elas podem ajudar o seu negócio a ficar em dia com as obrigações legais? Então entre em contato com a gente e converse com um de nossos profissionais. Eles estão a postos para tirar todas as suas dúvidas e alavancar ainda mais o sucesso do seu negócio.

DEIXE SEU COMENTÁRIO